Na Capital, 37 ocorrências registradas diariamente de furto e roubo de carros

133
Veículos recuperados pela polícia ficam no pátio do DEIC até finalização do processo de devolução ao proprietário Foto: Omar Freitas / Agencia RBS
Veículos recuperados pela polícia ficam no pátio do DEIC até finalização do processo de devolução ao proprietário
Foto: Omar Freitas / Agencia RBS

Sozinha, a Capital do RS responde a mais da metade de todos os ataques com ameaça a motoristas registrados no Estado

Cidade mais populosa e com a maior frota do Estado, Porto Alegre também é o território preferido para a atuação dos ladrões de veículos. Sozinha, responde por mais da metade (52%) de todos os ataques com ameaça a motoristas registrados no Estado. Foram 6.958 roubos de veículos entre janeiro e setembro deste ano, média de 25 por dia — 38% a mais do que no mesmo período de 2014. E os 3.133 furtos também colocam os porto-alegrenses como os mais atingidos por esse tipo de crime. As duas modalidades somadas resultam em 37 ocorrências por dia.

Responsável pela Comando de Policiamento da Capital (CPC), o tenente-coronel Mario Ikeda justifica a posição de Porto Alegre como alvo principal por acumular, além da maior população, um grande volume em circulação de pessoas vindas das cidades próximas:

— Fora os criminosos de Porto Alegre, atuam também as quadrilhas do Vale do Sinos e da Região Metropolitana. Vêm atrás de mais oportunidades de agir, porque a frota é muito maior.

 Os principais pontos de ação (dos bandidos) são os que têm áreas de comércio e serviços acentuados, e os que fazem limite com municípios do entorno — completa o delegado Luciano Peringer, da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV) do Departamento Estadual de Investigações Criminais.

De acordo com o comandante do CPC, neste mês o governo do Estado aumentou o aporte de horas extras, que estão permitindo ampliar as ações de policiamento, e a expectativa é reduzir os índices até o fim do ano.

RS registra a maior quantidade de ataques com uso de explosivos em um único ano

Embora a quantidade de veículos em circulação siga aumentando, o ritmo de ação dos criminosos tem superado o das fábricas do setor automotivo.

Com um mercado cada vez mais saturado, a frota da Capital cresceu 19% de 2010 até outubro de 2015, conforme dados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). No mesmo intervalo, o roubo teve alta em torno de 70%.

ZERO HORA