Bombeiros e policiais militares participam de treinamento para a Operação Golfinho

137

17806813Capacitação ocorre no Balneário Passo do Julião, em São Pedro do Sul. Operação começa no dia 23 de dezembro

A Operação Golfinho começa só no dia 23 de dezembro, mas, para 32 bombeiros e policiais militares, o treinamento já começou. Entre os dias 23 de novembro e 13 de dezembro, o grupo estará reunido no Balneário Passo do Julião, em São Pedro do Sul, para a capacitação.

De acordo com o capitão Rafael Gonçalves Pereira, do 4º Comando Regional dos Bombeiros, os futuros salva-vidas enfrentam seis horas diárias de treino, que incluem atividades físicas aeróbicas, corrida para aumentar o condicionamento físico, orientações sobre técnicas de salvamento e primeiros socorros. Além disso, enquanto a operação está em andamento, os alunos também fazem um trabalho de orientação e prevenção.
_ Quando está ocorrendo a operação, antes de se deslocarem para a guarita, os profissionais fazem uma varredura por toda a área de banho para ver se não há nenhum problema ou empecilho para os banhistas. E, assim que o pessoal vai chegando aos balneários, os salva-vidas também conversam, dando informações básicas de onde é possível tomar banho e também de como se comportar na água _ destaca o capitão.

Conforme o comandante dos Bombeiros, tenente-coronel Luis Marcelo Gonçalves Maya, a operação se estenderá até o dia 6 de março. Ainda não há definição de quantos profissionais permanecerão na região, nem quantos salva-vidas haverá em cada balneário. Segundo Maya, a definição dos locais é feita de acordo com o Comando de Brigada Militar de Porto Alegre, que também determina os horários de atuação dos profissionais.

_ Nossa orientação é que os salva-vidas atuem das 9h ao meio-dia, e das 15h30min às 19h30min. Mas esses horários podem sofrer variações, de acordo com as características dos balneários e também com a movimentação de pessoas nesses locais _ afirma o coronel.

Os pontos que receberão salva-vidas são escolhidos com base em dois critérios: o balneário tem de ser público, ou seja, não cobrar entrada, e oferecer infraestrutura para manter os profissionais.

PARA EVITAR AFOGAMENTOS

– Se não souber nada, não entre na água
– Procure locais que contem com salva-vidas e atente para os horários em que os profissionais estarão presentes
– Não exagere na confiança e na habilidade de que sabe nadar
– Evite atravessar os rios quando houver muita correnteza
– Faço um intervalo adequado entre as refeições e os horários de banho
– Se for entrar na água, não tome bebida alcoólica
– Atenção especial com as crianças, evite deixá-las sozinhas

DIÁRIO DE SANTA MARIA