Dados da BM apontam que 89% das ocorrências atendidas pelo 190 são resolvidas

114
14979572
IMAGEM ILUSTRATIVA

Apenas 11% das ocorrências do call center exigem envio de recurso policial para atendimento

Dados da Brigada Militar apontam que 89% das ocorrências atendidas pelo número de emergência são resolvidas por telefone. Para intensificar o policiamento, a BM orienta que os cidadãos utilizem o 190 para não precisar recorrer fisicamente a algum posto policial. Além de eficiente e ágil, o serviço libera o usuário de enfrentar filas ou gastar dinheiro com locomoção.

A informação é da Assessoria de Imprensa do Governo do Estado.

O diretor do Departamento de Comando e Controle Integrado (DDCI) da Secretaria da Segurança Pública (SSP), tenente-coronel André Luiz Córdova, informa que apenas 11% das ocorrências do call center exigem envio de recurso policial para atendimento. “Se 89% dos chamados são resolvidos por telefone, precisamos qualificar ainda mais o atendente para que melhore a resposta e consiga maior efetividade no trabalho”, afirmou.

Para qualificar o serviço, a Brigada Militar vai atualizar e ampliar a especialização dos policiais com cursos de ensino. O aprendizado, com carga horária de 580 horas, inclui aperfeiçoamento em segurança pública sem homofobia; atuação policial frente aos grupos vulneráveis; português instrumental; atendimento às mulheres em situação de violência; emergência pré-hospitalar; identificação veicular e preservação de local de crime. A meta é estender a qualificação às demais regiões do estado.

Em 2015, mais de 1,2 milhão de ligações foram atendidas, 25% delas feitas por pessoas pedindo informações aleatórias ou trotes. Ou seja, um terço dos chamados não dizia respeito a ocorrências policiais. Em média, o call center opera com dez servidores por turno e atende 1.500 ligações por dia – pelo menos 141 por hora. O horário de pico é das 16h às 23h, com maior procura nos feriados.

Trotes

Parece piada fora de moda, mas os trotes ainda representam 11% das ligações. O major Gilberto Viegas, que gerencia o call center, salienta a importância de conscientizar que o 190 é exclusivo para ocorrências policiais e situações de emergência. “Qualquer outro tipo de ligação, dependendo da grande procura, a pessoa ficará na fila de espera porque está sendo dada uma informação irrelevante, enquanto outra pode estar perdendo a vida ou passando por uma situação de risco”, alerta.

Outro problema considerável é a taxa de abandono (quando a pessoa liga para o 190, desliga ao dar ocupado e liga novamente achando que será atendido mais rápido). “A dica é que aguarde na linha quando entrar na fila de espera. Se não, o atendimento será mais demorado”, acrescenta.

Salvando vidas

Além da agilidade, o telefone de emergência pode salvar vidas. Na última terça-feira (2), a soldado Rita Cardoso Machado recebeu uma ligação informando que um bebê havia se afogado com a secreção natural durante a preparação para o banho em Bagé. A brigadiana ajudou a avó da criança a manter o controle e fazer manobras para restabelecer a respiração, enquanto acionava o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. O bebê chegou ao Hospital de Pronto Socorro fora de perigo.

Diário Popular