Testemunhas reconhecem suspeitos da morte de PM durante Réveillon em Tramandaí

158
PM Maysson Fagundes da Silva levou um tiro na cabeça / Foto: Reprodução
PM Maysson Fagundes da Silva levou um tiro na cabeça / Foto: Reprodução

Das oito testemunhas da morte do PM Maysson Fagundes da Silva, 27 anos, durante oRéveillon em Tramandaí, sete reconheceram os três suspeitos que seguem presos. O delegado Paulo Perez diz que o reconhecimento feito nesta quarta-feira (17), na delegacia, foi importante para consolidar as provas já obtidas. Os três foram detidos entre os dias 11 e 12 de janeiro em São Leopoldo e na zona Norte da Capital.

“Pelo menos cada um dos suspeitos foi reconhecido por uma testemunha. Um deles, responsável pelo tiro, foi reconhecido por mais de uma das pessoas que estiveram aqui na delegacia”, diz Perez.

O motivo do crime seria uma desavença envolvendo dois grupos de jovens na festa por causa de uma mulher. Houve discussão e um dos suspeitos atirou na cabeça da vítima. Além disso, um amigo do PM teria pego a arma do policial e disparado contra o atirador e seus amigos. No entanto, o disparo atingiu as costas de uma adolescente. Ela não corre risco.

Inquérito

Perez diz que já sabe quem foi o responsável pelo disparo e vai divulgar nomes somente na próxima semana, quando concluir o inquérito policial. Segundo ele, há uma possibilidade de que os outros dois envolvidos não sejam indiciados. Quando remeter o inquérito à Justiça, a polícia vai pedir a prisão preventiva de pelo menos do atirador. As prisões temporárias já foram prorrogadas para o dia 8 de março.

GAÚCHA