CRISE NA SEGURANÇA: Amuplam mobiliza-se contra patrulha regional

137

6aInsegurança. Esse foi um dos temas debatidos em encontro dos prefeitos componentes da Associação dos Municípios do Planalto Médio (Amuplam), na última sexta-feira. Diante da crise no setor, déficit histórico de efetivo e consequente fechamento de postos na região, os prefeitos estão mobilizados para evitar a chamada regionalização do atendimento policial. Um encontro no próximo dia 30, capitaneado pela Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), deverá dar contornos decisivos para o tema.

Ainda na semana passada, o Grupo IM trouxe uma matéria a respeito dos problemas envolvendo a falta de material humano, sobretudo, na região. A região de abrangência do ’29º Batalhão da Policia Militar (29BPM) já gestiona de maneira desfalcada. Dos sete municípios que compõem o comando local, dois deles têm suas atividades policiais divididas. Segundo o capitão Gilmar Bischoff, subcomandante do batalhão, uma patrulha intermunicipal se divide entre os municípios de Ajuricaba e Nova Ramada.

É justamente isso que. Segundo o prefeito Fioravante Ballin, é inadmissível. O chefe do Executivo de Ijuí presidiu o encontro realizado em meio à Feira de Exposições de Coronel Barros, na ausência do presidente da entidade, Géderson Mori, prefeito de Bozano. “De antemão os prefeitos são contrários a essa regionalização. Usaremos esse encontro da regional, junto a Famurs, para debater esses e outros assuntos pertinentes. Queremos um efetivo mínimo de atendimento nos municípios”, ressaltou o prefeito Ballin, em entrevista concedida à Rádio JM.

Além dos municípios que já contam com o trabalho dividido da Brigada Militar, outros estão no mesmo caminho. Augusto Pestana e Jóia podem ser os próximos, segundo o capitão Bischoff. contam com o trabalho dividido da Brigada Militar.

Temos alguns municípios como Augusto Pestana e Joia que têm dois PMs na cidade por turno de serviço. Caso não venham as nomeações, o caminho deverá ser as patrulhas intermunicipais.

Juntaremos pequenos polos e criaremos patrulhas para fazer o policiamento em três cidades”, já prevê o capitão.

JORNAL DA MANHÃ