DPM informa que presença de Policiais Civis nas ruas faz parte de Operação Específica

141

reuniao_dpm22Na noite desta terça-feira (15), a direção da UGEIRM foi surpreendida com a notícia de que Policiais Civis estariam fazendo policiamento ostensivo em alguns bairros da Capital, em conjunto com a Brigada Militar. As informações, desencontradas, que chegavam ao sindicato, era que isso fazia parte de uma política do governo do estado para diminuir os alarmantes índices de violência. Diante da flagrante ilegalidade que tal fato significaria, a direção da UGEIRM procurou informações a respeito, tendo conseguido uma audiência para o início da tarde com o Delegado Paim, Diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM).

Na reunião, o delegado Paim explicou que não se trata de policiamento ostensivo e que, na verdade, essa seria uma operação de resposta aos recentes ataques efetuados pelos criminosos, que atingiram, inclusive, alguns policiais. Estas operações teriam objetivos específicos, no caso de terça-feira o combate ao roubo de carros, sendo este o motivo dos bairros escolhidos, que são locais de maior incidência de ocorrências relacionadas ao roubo de veículos.

reuniaoDPM1Os representantes da UGEIRM questionaram o delegado Paim a respeito do pagamento, aos participantes dessas operações, das horas extras correspondentes. O delegado informou que foi feito o pedido de pagamento das horas extras e que os policiais que participaram da operação teriam as horas pagas, no mínimo, em horas de folga. O diretor do DPM frisou a necessidade da polícia dar uma resposta dura aos criminosos, visto que vários policiais têm sido vítimas da violência no último período. Apesar de reconhecer as dificuldades vividas pela corporação desde o início do governo Sartori/PMDB, o delegado Paim salientou a necessidade da polícia combater a criminalidade, dando uma resposta à altura da audácia demonstrada pelos criminosos.

A UGEIRM reafirma a sua discordância que os policiais exerçam o papel que seria de responsabilidade da Brigada Militar. O sindicato concorda que existe a necessidade de termos mais policiais nas ruas para combater a criminalidade. Porém, as atribuições de cada polícia devem ser respeitadas. A Polícia Civil é uma polícia judiciária, responsável pelas investigações, atuando primordialmente após a ocorrência do ato criminoso. A segurança preventiva e o policiamento ostensivo é responsabilidade da Brigada Militar, que foi treinada para essa finalidade e tem condições de executar com muito mais eficiência tal atribuição.

Atualmente vivemos um déficit absurdo de pessoal nas duas polícias. A manutenção das atividades exclusivas da Polícia Civil já vem sendo feita com um esforço sobre-humano dos policiais. As operações que têm sido efetuadas com sucesso, devem-se ao esforço dos policiais e não a uma política de segurança coerente do governo do estado. Não teria sentido deslocar policiais que deveriam estar participando dessas operações e fazendo investigações, para o policiamento ostensivo. Se existe a necessidade de mais policiais nas ruas, o governador Sartori/PMDB deveria parar com sua política de economia às custas da segurança da população e contratar mais policiais militares e mais policiais civis. Temos mais de 2.000 aprovados em concurso da Brigada Militar e 650 aprovados na Polícia Civil. Só depende da vontade política do governador Sartori/PMDB a convocação desses policiais.

UGEIRM Sindicato