Pelo menos 300 PMs vão acompanhar manifestações em Porto Alegre

129
Cúpula de segurança do Estado se reuniu no Piratini nesta sexta-feira. Foto: Ananda Müller
Cúpula de segurança do Estado se reuniu no Piratini nesta sexta-feira. Foto: Ananda Müller

BM garante que efetivo não atende o policiamento ostensivo

Pelo menos 300 policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (BOE) e demais regimentos de Porto Alegre acompanharão as manifestações que ocorrem na Capital no próximo domingo. Foi o que confirmou hoje o responsável pelo Comando de Policiamento da Capital (CPC), tenente-coronel Mário Ikeda, após reunião da cúpula estadual da Segurança, no Palácio Piratini.

Para a tarde do próximo domingo, foram marcados protestos em Porto Alegre de grupos de contrários ao governo da presidente Dilma Rousseff e de apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A manifestação a favor de Lula é convocada pelo PT gaúcho após a 24ª fase da Operação Lava Jato, na qual o petista foi alvo das investigações.

O tenente-coronel Mário Ikeda ressaltou que a Brigada Militar não vai permitir que os grupos contrários tenham contato. O ato contra o governo federal está marcado para o Parque Moinhos de Vento, o Parcão, o a favor de Lula para o Parque Farroupilha, a Redenção. Ikeda ressaltou que os policiais serão destacados do regimento, do Batalhão e dos Pelotões de Operações Especiais, e atuarão também na Operação Avante, já em andamento na cidade.

O secretário-chefe da Casa Civil, Márcio Biolchi, pediu que os manifestantes respeitem o direito a livre manifestação e não entrem em confronto. Ele garantiu que os órgãos de segurança estão em contato com os organizadores de ambos os eventos para evitar qualquer tipo de contratempo. “Não queremos que uma pauta tão importante como essa, que é a manifestação popular, seja usada para depredações ou movimentos violentos”, disse Biolchi.

Tanto o comandante do CPC quanto o secretário da Casa Civil garantiram que os demais locais da cidade não ficarão desprotegidos, até porque os policiais deslocados para os eventos são oriundos de efetivos que não respondem pelo policiamento ostensivo.

O secretário ainda relembrou que no mesmo dia vai haver partida de futebol pelo campeonato gaúcho no estádio Beira-Rio, o que também demanda encaminhamento de efetivo, em separado daquele que ocorre pelo viés político.

*Com informações da repórter Ananda Müller

Fonte:Correio do Povo e Rádio Guaíba