Após violência contra professores e alunos, escola de POA terá PM fixo

126
Alunos sofrem com ação de traficantes e assaltantes Foto: Vitor Rosa /Rádio Gaúcha
Alunos sofrem com ação de traficantes e assaltantes
Foto: Vitor Rosa /Rádio Gaúcha

Professores relatam rotina de tiroteios, assaltos e toques de recolher

As aulas na Escola Estadual Jerônimo de Ornelas, no Morro da Polícia, em Porto Alegre, foram retomadas na tarde desta quinta-feira (12) após ficarem suspensas no período da manhã. Professores e alunos relatam que as ações de violência são frequentes na região, com assaltos e tiroteios próximos ao colégio.

Hoje, por exemplo, a vice-diretora teve o carro roubado após ser rendida por dois bandidos armados quando chegava na instituição. A Brigada Militar (BM), através do 19º Batalhão de Polícia Militar (BPM), se reuniu com a diretora da escola, Elisabeth Amadori Stroschein, e ficou definido que, a partir de segunda-feira (16), um policial ficará em frente ao colégio para garantir a segurança na entrada dos alunos e professores no período da manhã.

Outros problemas
Além da questão da violência, a escola também passa por dificuldades financeiras. Segundo a diretora, o telefone da instituição foi cortado, pois não há recursos em caixa para fazer o pagamento. Ela diz que os repasses do governo do estado estão atrasados desde janeiro deste ano.

Para comprar a merenda dos alunos e materiais de limpeza, a diretora admite que está contando com ajuda de comerciantes, prometendo pagar depois.

Em nota, a Secretaria Estadual de Educação afirma que “os recursos da autonomia financeira não foram repassados porque a instituição abriu a conta bancária somente em 7 de abril. Com a regularização da situação, a previsão é que a escola receba os valores pendentes nos próximos dias, conforme calendário de pagamentos estabelecido pela Secretaria da Fazenda.”

GAÚCHA