GAÚCHA: Jovem indiciado gravava vídeos antes de executar vítimas para líder de galeria do Presídio Central

126

download (2)Depois de indiciar 19 integrantes de uma facção criminosa da Grande Porto Alegre por um assassinato e três tentativas em Gravataí, bairro Vila Rica, em 2015, a Delegacia de Homicídios do município está encaminhando nesta terça-feira (19) o inquérito para a Justiça. No entanto, o delegado Marco Antônio de Souza destaca um fato que chamou a atenção da polícia: um jovem de 19 anos, um dos indiciados e que está preso, gravava vídeos antes de executar as vítimas. Ele é integrante do grupo criminoso que recebei ordens de um líder de galeria no Presídio Central.

* Veja o único trecho que foi possível divulgar, no momento em que o indiciado escolhia as armas, junto com um comparsa, para realizar assassinatos:

O segundo jovem que estaria junto no vídeo é procurado. Em relação ao suspeito indiciado, na época dos fatos ele era adolescente. Em relação ao homicídio e às tentativas, ele responde pelo atos infracionais. Como a investigação prosseguiu, ele fez 18 anos logo depois de junho de 2015 (época em que houve as execuções) e seguiu atuando com os traficantes. O delegado Marco de Souza indiciou ele depois como adulto pelos crimes de tráfico de drogas e associação ao tráfico. Quando foi detido, já estava com 18 anos e estes dois crimes foram atribuídos a ele. O investigado está no Presídio Central. Desde os 15 anos tem envolvimento com a polícia, iniciando por ameaça e passando por incêndio, roubo, tráfico e homicídio.

Suspeitos

Outros assassinatos atribuídos a esta facção continuam sendo apuados. A Delegacia de Homicídios de Gravataí informa que as vítimas são integrantes de facção rival e os crimes foram motivados pela guerra entre os grupos que disputam pontos de venda de drogas na cidade. Dos 19 indiciados, apenas um está em liberdade. O restante se encontra no sistema prisional: Central, Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas, Penitenciária Estadual do Jacuí em Charqueadas e Presídio de Osório. O delegado Marco de Souza diz que esta disputa por pontos de drogas em Gravataí entre duas facções rivais já gerou 11 assassinatos e outras 11 tentativas de homicídios.