SANTA MARIA: Após latrocínio, BM adianta início da patrulha comunitária

132

19962115Após latrocínio, BM promete antecipar ação para frear a violência nas ruas

Brigada Militar colocará em prática o projeto de patrulha comunitária, enquanto Polícia Civil intensifica a investigação da morte de Shelli Vidoto, 27 anos

O assassinato de Shelli Uilla da Rosa Vidoto, 27 anos, relações públicas e diretora da unidade Phoenix Mary Kay, por volta das 21h15min (*o horário 21h25min, registrado pelas câmeras não condiz com o horário real) de sexta-feira, em Santa Maria, teve repercussão imediata nas redes sociais, na comunidade em geral e, sobretudo, nos órgãos de segurança pública.

A jovem, vítima do terceiro latrocínio (roubo com morte) do ano e do 30º assassinato de 2016 em Santa Maria, morreu após ser esfaqueada por dois homens enquanto caminhava sozinha na Rua Bento Gonçalves, no bairro Dores, no limite da área central com a região nordeste da cidade. Imagens de câmeras de monitoramento (confira o vídeo no site do Diário) nas imediações de onde aconteceu o crime têm sido fundamentais na investigação que está a cargo da 1º Delegacia de Polícia. Até as 20h de ontem, ninguém havia sido preso.

Foto: Fernando Ramos / FR News
O caso também suscitou ações da Brigada Militar (BM), que, nos próximos dias, deve implementar ações para tentar frear a violência na cidade, principalmente, os assaltos a pedestres.

Conforme o comandante do 1º Regimento de Polícia Montada (1º RPMon) da Brigada Militar (BM), tenente-coronel Gedeon Pinto da Silva, no início de agosto, Santa Maria deve contar com patrulhas comunitárias percorrendo bairros e com o apoio do 2º Batalhão de Operações Especiais. Outra ação direta no entorno de onde a jovem foi morta é o reforço do policiamento e do serviço do Centro Regional de Operações e Inteligência Policial (Croip) da BM, com militares à paisana e viaturas descaracterizadas circulando pelo local. A medida atende a uma das demandas do Programa Santa Maria Segura, lançado no dia 1º de julho junto da prefeitura e demais entidades. Nesta semana, a BM também deve divulgar um balanço da criminalidade no bairro Dores.

– Investiremos na presença policial e em ações proativas junto dos órgãos de segurança e da comunidade. Com a Polícia Civil, identificaremos se há quadrilhas agindo em roubos a pedestres, já que, nesse caso, foram dois elementos. Temos orientado as pessoas a não andar em determinados horários e locais escuros e jamais reagir a assaltos.

O comandante ainda critica a impunidade de crimes cometidos pela mesma pessoa:

– Com certeza, esses dois (assaltantes) já têm passagem pela polícia. E a impunidade gera tranquilidade para agirem, pois sabem que não vai dar em nada. Eles precisam ser encarcerados e não ficar neste prende e solta.

 As investigações

Segundo o delegado responsável pelo caso, Laurence de Moraes Teixeira, cinco testemunhas já foram ouvidas, além de relatos informais e denúncias. Contudo, a autoria não foi identificada, bem como a arma do crime e a bolsa com os pertences da vítima não foram localizadas.

– Estamos averiguando novas imagens. O que podemos afirmar é que foi um latrocínio praticado por duas pessoas do sexo masculino, um deles, possivelmente, um adolescente. Seguiremos ouvindo pessoas. Pedimos a moradores que tenham imagens que nos passem. Outras denúncias também podem ser feitas pelos números 181 e 197, da Polícia Civil.

 O crime

 Conforme o delegado, com base no registro das câmeras, a jovem reagiu ao assalto, correndo atrás dos assaltantes depois de ter a bolsa roubada. Na ocorrência policial, consta que ele foi morta com três facadas, mas, segundo o delegado, teriam sido dois golpes de arma branca: um na altura do tórax, do lado direito, e outro na altura da axila esquerda, na lateral do peito. Ainda nesta segunda-feira, os laudos de necropsia devem apontar se Shelli morreu na hora ou a caminho da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), e a maneira que foi ferida. Não há informações sobre o tempo de chegada do Samu e dos bombeiros ao local. Diversas testemunhas relataram que o atendimento demorou cerca de 40 minutos para chegar.

Colaboraram Patric Chagas e Dandara Aranguiz. DIARIO DE SANTA MARIA

Câmeras registram momento em que jovem é atacada por assaltantes
Imagens mostram que Shelli Vidoto chegou a correr atrás dos suspeitos após ter a bolsa roubada
A Polícia Civil de Santa Maria trabalha para tentar identificar os dois suspeitos de terem assaltado e matado Shelli Uilla da Rosa Vidoto, 27 anos, na noite de sexta-feira em Santa Maria.

 

JA Ideias: Santa Maria Segura
Para falar sobre as ações que estão sendo feitas para aumentar a segurança na cidade, estiveram no estúdio o Comandante Regional da Brigada Militar, Cel. Worney Mendonça e o Delegado Regional Sandro Meinerz.