Beltrame defende pagamento em dia de PMs para que RS enfrente crise na segurança

141
Beltrame defende pagamento em dia de PMs para que RS enfrente crise na segurança | Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil / CP
Beltrame defende pagamento em dia de PMs para que RS enfrente crise na segurança | Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil / CP

Secretário de Segurança do RJ também rechaçou possibilidade de assumir a vaga de Wantuir Jacini

Em meio à crise na área da Segurança Pública do Rio Grande do Sul, o titular da secretária da pasta no Rio de Janeiro, o gaúcho José Mariano Beltrame, defendeu, em um primeiro momento, o pagamento em dia dos salários dos policiais militares. Em entrevista à Rádio Guaíba nesta sexta-feira, Beltrame disse estar acompanhado à distância a situação no Estado e lamentou o assassinato da representante comercial em frente à filha dela, nessa quinta, na zona Norte de Porto Alegre.

Conforme Beltrame, o parcelamento no vencimento dos PMs interfere diretamente no dia a dia da corporação. “Eu acho que isto é prioritário (pagamento em dia). Alguém trabalha de graça, principalmente, a polícia que bota a cara para tomar tiro?”, indagou.

Sobre a chegada de homens da Força Nacional de Segurança no Estado, Beltrame assegurou que a ajuda será positiva. Ele confirmou que o deslocamento de parte do efetivo nacional já foi comunicado pelo governo federal, e admitiu que a medida vai impactar nos trabalhos de segurança dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. “Eu já sabia desta notícia, de que a Força saiu daqui do Paralímpico e foi para aí. Eu vou vou perder e tenho que perder (parte da tropa) porque está morrendo gente”, frisou.

Considerado um dos principais secretários de segurança do país, inclusive, com admiração de parte da cúpula do Palácio Piratini, Beltrame rechaçou a possibilidade de assumir o comando da Segurança gaúcha em momento de cadeira vaga, após a exoneração de Wantuir Jacini. “Em primeiro lugar, este convite não aconteceu. E, em segundo lugar, eu tenho compromisso com a população daqui”, concluiu.

Lucas Rivas / Rádio Guaíba