Rádio Guaíba: Fim de contrato deixa nove presídios gaúchos sem videomonitoramento

134
IMAGEM ILUSTRATIVA

Unidades não foram informadas por questões de segurança

Nove unidades prisionais do Rio Grande do Sul estão sem monitoramento por câmeras de segurança desde janeiro. O fim do sistema de segurança ocorreu porque o contrato com a empresa responsável pelo serviço terminou e não foi renovado pela Susepe.

A lista de presídios sem monitoramento de detentos não é informada por questões de segurança. Perguntada sobre por que o contrato não foi renovado antes do fim, a assessoria de imprensa da Susepe se limitou a dizer que “são questões internas e administrativas”.

A Susepe informou ainda que verifica a possibilidade de uma contratação emergencial para a retomada do serviço nas unidades. Depois disso, deve ser aberta nova licitação. O órgão também não soube informar quantos presídios, no total, possuem esse tipo de monitoramento.