JBV Online: BM da região perde o seu reforço mais próximo

157

Já não é segredo que o déficit de efetivo no 13º BPM está em 63% e que desde o ano passado o comando e entidades representativas do Alto Uruguai lutam para trazer policiais militares da região que estão atuando fora.

Recentemente o governo estadual anunciou que iria deslocar brigadianos do interior para reforçar a capital, não mexeu no defasado efetivo da região, porém acabou levando o principal reforço da Brigada Militar para ocorrências de grande vulto, como por exemplo, assaltos a bancos e tumultos, motins ou revistas pente-fino nos presídios. Estou falando sobre o Batalhão de Operações Especiais (BOE) de Passo Fundo. Na necessidade de apoio aos brigadianos do Alto Uruguai, o BOE de Passo Fundo era geralmente o primeiro a responder, por estar mais próximo do Alto Uruguai. Infelizmente agora, foi temporariamente transferido para Porto Alegre, onde deve permanecer até o final de julho, participando da Operação Avante e de outras ações.

Segundo informações, teriam sido levados para a capital todos os integrantes do BOE, cerca de 70, juntamente com seus equipamentos e viaturas. O mesmo ocorreu em Santa Maria.

A medida sobrecarrega ainda mais (se é que é possível) nossos policiais, aumenta o risco que naturalmente já correm, também coloca em risco a população e deixa o interior responsável por pagar a conta.

Um dos argumentos para deslocar o BOE de Passo Fundo para a capital seria o de que se o crime não for contido em Porto Alegre, poderá se espalhar para outras regiões. Mas será que tirar o policiamento do interior já não serve como chamariz suficiente para que isso aconteça?

Por Alan Dias/JBV Online