JORNAL NH: Cidades pedem mais segurança

210
Prefeitos do Vale do Sinos, representantes de secretarias de segurança e autoridades policiais se reuniram na Feevale

Região pode receber reforço da Operação Avante

Em reunião com Polícia Civil e Brigada Militar, prefeitos cobram mais policiamento

Insatisfeitos com a insegurança, prefeitos da Associação dos Municípios do Vale do Rio dos Sinos (AMVRS) convocaram reunião ontem com representantes da Polícia Civil e Brigada Militar.  O objetivo do encontro foi questionar a razão de as cidades terem ficado de fora da intensificação no policiamento, uma vez que estão próximas da capital, beneficiada nesse sentido com a Operação Avante. A presidente da AMVRS e prefeita de Sapiranga, Corinha Mölling, abriu o encontro mostrando a reportagem do Jornal NH “Região não receberá reforço na segurança”, publicada na quinta-feira, 16. “Queremos uma resposta sobre isso”, disse.

Porto Alegre recebeu, semana passada, PMs retirados de todo o Estado para apoio à Operação Avante. O subcomandante da BM, coronel Mario Ikeda, disse que o Vale do Sinos não foi atendido “ainda”. “Tivemos a atenção de não retirar policiais daqui, porque sabemos das necessidades da região. Mas, segunda-feira, ocorre avaliação da operação e, dependendo da situação da capital, vamos poder ampliar a Avante para atender esta região”, afirmou Ikeda.

Ao final do encontro, o comandante do Comando Regional de Polícia Ostensiva do Vale do Sinos da BM, coronel Haroldo Knebel, confirmou que o Vale do Sinos deverá receber reforço da Operação Avante. “O coronel (Ikeda) disse que será contemplado também o Vale do Sinos nas operações da Avante. Temos marcada uma reunião para a próxima segunda para avaliar os índices e estratégias de emprego destas operações”, disse, à noite, Knebel.

Já o delegado do Departamento de Polícia Metropolitana, Antônio Vicente Lopes Nunes, destacou que este ano ocorrerá a formação de 550 agentes e que um novo concurso está em elaboração. “Estamos sacrificando vários municípios para fazer com que Porto Alegre respire melhor, e o Vale do Sinos não teve perda de policiais civis”, ponderou.

*Colaborou: Juliana Nunes

Mais PMs a partir de julho

Para o segundo semestre do ano, 1.060 brigadianos serão distribuídos entre as cidades gaúchas para reforço do efetivo. Porém, ainda não estão definidas as regiões que serão contempladas, nem quantos soldados serão enviados para cada uma. Conforme Ikeda, o primeiro objetivo da BM é equilibrar as corporações mais deficientes, que possuem apenas um ou dois PMs.

“Queremos que até o final de abril todas as cidades do Estado tenham ao menos três policiais cada. Depois, vamos passar para cinco. E, a partir daí, começa a distribuição para os demais municípios, o que, logicamente, vai beneficiar o Vale do Sinos também”, detalhou. Além disso, a BM já está em tratativas com o governo do Estado para convocar cerca de mil candidatos aprovados no último concurso, para que possam iniciar a formação. No Vale do Sinos, o déficit do efetivo é de 47%. “Já conversamos com o comando para sermos incluídos na segunda etapa da Avante e, com a formatura desses novos soldados, sabemos que seremos contemplados, talvez não na proporção que gostaríamos”, reconheceu o comandante do Comando Regional de Polícia Ostensiva do Vale do Sinos, coronel Haroldo Knebel.

Polícia Civil com déficit

De acordo com o delegado regional do Vale do Sinos, Rosalino Seara, no ano passado, houve perda de 74 agentes por aposentadorias. No mesmo período, apenas 23 foram repostos. Na reunião, ele destacou que o déficit só pode ser combatido com integração das forças policiais. “Planejamos operações conjuntas, justamente para oferecer intranquilidade aos bandidos. As pessoas de bem precisam se unir para vencermos esta guerra”, destacou.

Reforço da capital

O comando da BM terá reunião na próxima segunda-feira para avaliar os primeiros indicadores da Operação Avante em Porto Alegre, que conta com 400 PMs e também 200 agentes da Força Nacional. Uma das pautas será a inclusão da ação na Região Metropolitana, contemplando o Vale do Sinos. “A Avante está concentrada na capital, mas o Vale do Sinos já realiza operações pontuais. Conforme os dados que avaliarmos na reunião, poderemos trazer esse reforço de Porto Alegre para cá”, disse Ikeda.

O milagre da Brigada

Responsável pelo comando do policiamento ostensivo na região, Knebel apresentou dados relativos ao mês de março deste ano, que mostram uma melhora nos índices de criminalidade. De 1º a 22 de março, por exemplo, foram registrados 12 homicídios, uma queda de 36,8% em comparação ao mesmo período de 2016. Também houve redução no número de roubos a pedestre (32,6%), roubo a veículo (53%) e roubo a residência (32%), entre outros. Neste ano, até o dia 22 deste mês, a BM realizou 1.653 prisões na região. “Fazemos milagre com o efetivo que temos”, afirmou Knebel.

Roubos de carro no Vale

Dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP) referentes a 2016 evidenciam a criminalidade na região e a necessidade de que o Vale do Sinos receba reforços. A quantidade de furtos e roubos de veículos registrados em apenas 12 municípios corresponde a 11% do total do Estado. De um modo geral, a região representa 7% dos indicadores de violência do RS no ano passado. “Se não fosse a agilidade dos funcionários que temos, que são em número menor que o necessário, estaríamos em uma situação ainda pior”, disse o delegado Rosalino Seara.