“Quantos de nossos filhos, ó pátria amada, ainda precisarão morrer?”

138

Juiz federal sobre morte de primo em latrocínio na Capital: “Quantos de nossos filhos, ó pátria amada, ainda precisarão morrer?”

Daniel Luersen é primo do doutorando Massahiro Hatori, morto a tiros em assalto na Capital

Foto: Arquivo pessoal /Facebook

O juiz federal Daniel Luersen decidiu transformar em palavras o que está sentindo nesse momento de dor pela perda do primo em um latrocínio, em Porto Alegre. Magistrado há 12 anos, acompanhou o crescimento pessoal e profissional de Massahiro Hatori, estudante de Doutorado morto brutalmente por bandidos que queriam roubar sua mochila na tarde de sexta-feira (3). O juiz, que já cuidou de processos polêmicos, como o que tratava da fraude na Ulbra em Canoas, hoje é titular da 4ª Vara Federal de Blumenau, Santa Catarina.

Neste sábado, Luersen está no Rio Grande do Sul para velar o corpo do primo, na cidade de Estrela. No texto abaixo, cobra mais segurança pública e questiona se ainda vale a pena apostar no Brasil:

Dos filhos deste solo és mãe gentil, pátria amada?

Quantos anos de estudo, dedicação, trabalho duro e renúncia aos mais simples divertimentos da vida são necessários para se obter um doutorado neste país?

Quanto o país e, por consequência, o povo brasileiro investe para que um conterrâneo nos dê o orgulho de alcançar o grau de doutor em alguma faculdade?

Muitos saem de famílias humildes, de condições apertadas, e com muito sacrifício e suor essas famílias conseguem ver seu filho formado e progredindo na área que escolheu.

Um doutor em física por exemplo. Com certeza não conheço nenhum. Deve haver pouquíssimos no país.

Sabe aqueles senhores e senhoras que falam sobre os mistérios do universo ou sobre foguetes espaciais nos documentários do Discovery Channel?

É esse tipo de pessoa. Alguém com potencial, capacidade e inteligência o suficiente para criar alguma tecnologia que irá revolucionar e ajudar milhões de brasileiros e, talvez, a própria humanidade.

Creio que já é possível de se ter uma boa ideia do que estou falando.

Pois bem, uma dessas pessoas foi retirada de nossa sociedade por causa de uma mochila.

Impiedosa e sumariamente executado com um tiro na cabeça.

Tive a oportunidade de acompanhar, ainda que de longe, desde sua infância, o desenvolvimento da pessoa em questão.

Um excelente cidadão, que só acrescentaria à sociedade.

Brutalmente assassinado em Porto Alegre, nesta última sexta feira. Uma morte sem sentido algum.

A pessoa em questão era meu primo, Massahiro Hatori, prestes a se tornar Doutor em Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Filho de pai japonês e mãe descendente de alemães.

Quantos de nossos filhos, ó pátria amada, ainda precisarão morrer?

Descanse em paz. No solo desta pátria (mãe gentil?). Que Deus te receba e que de lá de cima tu possas iluminar e inspirar jovens a seguir teu exemplo.

Que essa morte cruel não tenha sido em vão. Que ajude a despertar e iluminar as pessoas a encontrar soluções efetivas para um dos problemas mais graves da atualidade.

Daniel Luersen

Juiz Federal

Bacharel em Direito pela UFRGS

Pós graduado em Direito Tributário pela UFRGS

GAÚCHA

Eduardo Matos 
eduardo.matos@rdgaucha.com.br