Comandante regional da Brigada Militar garante que BOE permanecerá em Passo Fundo

211

Reunião reuniu autoridades na manhã desta segunda-feira na Câmara de Vereadores, a fim de tratar sobre a possibilidade de saída do BOE (Batalhão de Operações Especiais) de Passo Fundo.
Assunto mobilizou vários segmentos da sociedade. Estiveram presentes no encontro vereadores, representantes das entidades empresariais e comandantes da área policial.

Na última sexta-feira, em entrevista à Rádio Planalto, o deputado estadual Gilberto Capoani (PMDB) disse que a possibilidade está descartada, após contato com o comando da Brigada Militar e Secretaria de Segurança Pública.

A permanência do 3º Batalhão de Operações Especiais (BOE) da Brigada Militar em Passo Fundo está garantida. A informação é do comandante do CRPO Planalto, cel. Jair Euclésio Ely, e do comandante do BOE, major Eriberto Rodrigues Branco, durante uma reunião realizada na Câmara de Vereadores, na manhã desta segunda-feira (03), solicitada pelo vereador Marcio Patussi (PDT).
Segundo Ely, o batalhão foi instalado em 2006 na cidade devido a sua localização geográfica e estratégica, sendo o município o centro de sua área de abrangência, e que, portanto, não há a possibilidade de transferência para outro município. “Temos inclusive conversado com o Poder Público Municipal para a construção de uma sede definitiva para o BOE em Passo Fundo, já que a instalação no antigo Quartel do Exército é provisória. Em momento nenhum se cogitou a possibilidade de saída daqui”, tranquilizou.
Major Eriberto explicou que o BOE está em Porto Alegre cumprindo uma missão estratégica da Secretaria de Segurança Pública e do Comando Geral da Brigada Militar no reforço à “Operação Avante”, que visa aumentar a presença da polícia nas ruas da capital e região metropolitana para, de forma preventiva, evitar crimes e a disseminação de quadrilhas para os municípios do interior. “É importante deixar claro que há três batalhões para atender todo o Estado, e na hora que for solicitado, qualquer um deles pode ser deslocado para outros municípios, porque ele é considerado um batalhão reserva. Então pode ir parte dele ou até a grande maioria. Este é um trabalho importante em Porto Alegre que beneficia também todo o Estado”, destacou.
O comandante cel. Euclésio ressaltou que, para compensar a ausência do batalhão, estão sendo liberadas horas extras para os policiais dos demais destacamentos para fazer a segurança pública na cidade.
O vereador Patussi agradeceu aos comandantes pelos esclarecimentos e ressaltou que com a garantia da permanência do BOE na cidade o Legislativo Municipal poderá auxiliar nas articulações para a construção da nova sede. “Mais de 200 municípios da região norte do Estado são atendidos pelo Batalhão que tem sua permanência garantida na localidade. Nossas energias, agora, estarão canalizadas na efetivação de uma sede própria, contratação de mais policiais e mais equipamentos”, destacou.
Estavam presentes na reunião representantes da Acisa, CDL, Sinduscon, Sindilojas, Associação de Subtenentes, Tenentes e Sargentos da Brigada Militar, Consepro, Secretaria Municipal de Segurança, e os vereadores Alex Necker (PCdoB), Eloí Costa (PMDB) e Aristeu Dalla Lana (PTB), que também se posicionaram sobre a preocupação com o boato divulgado na última semana.

Reunião na Câmara