BM encontra corpo de homem sequestrado e decapitado na Região Metropolitana

337
Carros usados para sequestrar a vítima foram incendiados em Cachoeirinha
Foto: Divulgação / Polícia Civil

Crime foi filmado e compartilhado em redes sociais

Por: Milena Schoeller ZERO HORA

O corpo de Orides Telles da Silveira foi encontrado, neste sábado (6), às margens da BR-386, em Canoas. Pessoas que passavam pelo local chamaram a Brigada Militar (BM). A vítima, de 47 anos, cumpria pena no semiaberto e usava uma tornozeleira eletrônica. Ele foi sequestrado por criminosos em um condomínio fechado de casas no bairro Cadiz, em Gravataí, na noite de terça-feira (2).

Um vídeo divulgado por criminosos nas redes sociais no dia seguinte mostra a decapitação da vítima. Nas imagens, os bandidos estão fardados com roupas camufladas e usam toucas ninja. Usando um machado, eles arrancam a cabeça do homem e depois a exibem, sob a mira de fuzis AK47 e 5.56, de fabricação russa e norte-americana.

Conforme o delegado Luis Antonio Firmino, da Delegacia de Homicídios de Canoas, o crime está ligado ao tráfico de drogas:

—  É briga entre facções, para mostrar poder, força e amedrontar. Já temos caminhos, mas não podemos falar neste momento para não atrapalhar as investigações.

A polícia ainda não sabe onde o crime foi cometido. A investigação será feita pela Delegacia de Homicídios de Gravataí, onde a vítima foi sequestrada, e pela Delegacia de Homicídios de Canoas, onde o corpo foi encontrado.

Os carros usados no crime foram achados pela polícia em Cachoeirinha na madrugada de quarta-feira (3). Um Toyotta Corolla e um Ford Focus foram incendiados pelos assassinos, para tentar dificultar a coleta de provas. Estes veículos, equipados com sirenes, foram utilizados para sequestrar o homem em Gravataí. Câmeras de segurança do condomínio flagraram a ação. Conforme a polícia, os criminosos usavam camisetas da Polícia Civil no momento da abordagem. A vítima já esteve entre os criminosos mais procurados do Estado. Em março deste ano, chegou a ser capturado e liberado no mesmo dia, em Gravataí.

As imagens divulgadas em redes sociais revelam ainda que o homem decapitado não foi a única vítima deste crime. Há fotos da execução de outro homem, identificado como Anderson Luciano Melo, 30 anos, com o próprio dedo — já arrancado da mão — na boca, sob a mira de fuzis. Depois, outra foto foi feita da vítima atingida por disparos na cabeça. O corpo de Melo já tinha sido encontrado na RS-118, no bairro Costa do Ipiranga, em Gravataí, com marcas de tiros de fuzil. A polícia investiga a relação entre as duas vítimas.