Jornal Agora: Brigada Militar do Rio Grande não conta mais com policiamento montado

325
Policiamento a cavalo é muito utilizado para a manutenção da ordem em locais com grande público

Segundo informações da BM, a maioria dos animais que estavam na cidade não tinham mais condições de atuar no policiamento

A Guarda Montada da Brigada Militar – um policiamento a cavalo, muito utilizado para a manutenção da ordem em locais de grande público – não está mais atuando em Rio Grande. Esse fato ocorre devido a uma ordem do governo do Estado, porém, segundo informações locais, dos 12 animais que estavam na cidade, apenas três estariam realmente em condições de patrulhamento.

Além daqui, cavalos das unidades da BM dos municípios de Vacaria, Santiago, Santa Cruz do Sul, Cachoeira do Sul, Santo Ângelo, Bagé, Pelotas e São Gabriel também teriam sido mandados para o Centro de Estudos, Treinamento, Reprodução Animal e Preservação Ambiental (Cetrapa) da Brigada Militar, em Santa Maria. Os animais passarão por uma avaliação e os que estiverem com melhores condições físicas serão leiloados em cerca de 70 dias.

RIO GRANDE

Segundo o capitão Claudiomiro Mendonça, da Brigada Militar, a mídia em todo Estado estaria tratando da questão de forma limitada. “A maioria já estava inservível para a Brigada. Eles não tinham mais condições, estão muito velhos. Para se ter noção, a maioria deles foi doada pela Granja Santa Maria há mais de 15 anos”, explicou.

Outro fator destacado pelo capitão foi que os animais também dependem de cuidados e de alimentação que acabam onerando o Estado e a BM. “Eles necessitam de um tratamento especial, tem que ter todo um pessoal por fora para cuidar dos animais”. Agora, os animais já estão em Santa Maria e, segundo Mendonça, após a avaliação, os que forem selecionados serão leiloados e alguns devem ser doados.

“Para a Brigada não serve mais, mas pode servir muito bem para um pai dar para o filho, ou para pacientes especiais que precisam de equinoterapia”, ressaltou. Sobre os cães do Batalhão, Mendonça deixou claro que eles continuam atuando, inclusive as instalações do canil foram recentemente reformuladas e hoje são referência em todo o Estado.

NOTA OFICIAL DA BM

A Brigada Militar lançou uma nota oficial, em que esclarece o assunto. O documento é assinado pelo coronel Júlio César Rocha Lopes, chefe do Estado-Maior da Brigada Militar. Na nota, a Brigada Militar diz que a decisão é fruto de uma “gestão moderna, calcada no planejamento estratégico” e foi identificada “a necessidade de otimizar a forma de utilização do emprego de equinos e de cães na corporação”. Ainda, segundo a nota, “além dos aspectos técnicos, agregou-se a racionalização dos custos, a fim de verificar o que fosse indispensável de recursos materiais e humanos para manter e executar esse tipo específico de policiamento”.

Porém, segundo a nota, “a medida adotada, e que será implementada, é de reestruturação e, em nenhum momento, essa ação trará prejuízos para a segurança pública dessas localidades, pelo contrário, potencializará e aperfeiçoará o emprego dos recursos nas regiões do Estado […] Em suma, o que a corporação coloca em prática é de basicamente proporcionar a prestação de policiamento ostensivo de forma mais dinâmica, eficaz, efetiva e eficiente na prevenção e combate à criminalidade, empregando seus recursos de maneira técnica, levando em consideração a qualidade na aplicação do que dispõe de melhor, garantir a segurança da comunidade gaúcha”.