Schirmer: queda em latrocínios reflete trabalho do governo

169

A partir do segundo semestre, SSP vai ampliar divulgação de indicadores

O secretário estadual da Segurança Pública, Cezar Schirmer, disse hoje que a queda nos registros de latrocínio (roubos seguidos de morte) no primeiro trimestre reflete o trabalho desenvolvido pelos órgãos da Pasta. “A investigação qualificada e o reforço no policiamento ostensivo surtiram efeito”, disse. De acordo com ele, o latrocínio é um dos delitos criminais que mais impacta a sociedade.

Com base nos indicadores, o governo promete agora focar no combate ao tráfico de drogas e aos crimes de homicídio (quando a morte não envolve roubo). Os primeiros três meses de 2017 registraram aumento de 12,8% – na Capital, a alta chegou a 11,7%. Schirmer observou que a raiz do problema é a disputa por território entre as facções. “Aproximadamente 85% dos homicídios no RS estão ligados, direta ou indiretamente, ao tráfico e ao consumo de drogas”, salientou.

A SSP também confirmou que vai ampliar a transparência na divulgação de indicadores. A partir do segundo trimestre, o crime de abigeato passa a fazer parte da tabela principal, onde também estão relacionados homicídios dolosos (ocorrência e número total de vítimas), latrocínios, furtos, furtos de veículos, roubos, roubos de veículo, estelionato e extorsão mediante sequestro.

Uma segunda tabela também vai fazer parte da divulgação, relacionando os crimes de roubo e furto a bancos; roubo e furto a estabelecimentos comerciais; e ocorrências em transporte coletivo. “Essas informações já eram disponibilizadas à sociedade e à imprensa, mediante demanda”, frisou o major Leandro Estabel Jung, chefe da Divisão de Estatística Criminal da SSP.

Fonte:Rádio Guaíba

Dados da SSP apontam queda nos latrocínios e aumento nos homicídios e roubos no Estado

Secretaria divulgou levantamento dos três primeiros meses do ano

Por: Renato Dornelles ZERO HORA

O número de latrocínios (roubos com morte) caiu 17,6% no Estado e 27,3% em Porto Alegre, no primeiro trimestre de 2017 comparado ao mesmo período do ano passado.

Porém, houve aumento em outros crimes considerados graves, como homicídios dolosos, roubos e roubos de veículos.

Os dados são da Secretaria da Segurança Pública (SSP), que divulgou os indicadores criminais dos três primeiros meses do ano, nesta quarta-feira. De acordo com o levantamento da SSP, no primeiro trimestre deste ano, ocorreram 42 latrocínios no Estado e oito em Porto Alegre, contra 51 e 11, respectivamente, em 2016.

O secretário Cezar Schirmer afirma que o combate a esse tipo de crime tem sido priorizado.

— A investigação qualificada e o reforço no policiamento ostensivo surtiram efeitos. Este é um dos delitos criminais que mais impactam a sociedade e tem recebido atenção especial das nossas instituições — diz.

As medidas, no entanto, não provocaram o mesmo efeito nos homicídios dolosos, de acordo com as estatísticas. Na Capital, foram 215 casos contra 197 do ano anterior, com um aumento de 9,1%. No Estado, o índice foi ainda maior: 12%, com 800 ocorrências este ano e 714 em 2016.

Os casos de roubos mantiveram-se praticamente estáveis, com pequenos aumentos. Em 2017, foram 9.499 contra 9.253 do ano passado (variação de 2,65%) em Porto Alegre, e 23.053 contra 22.661 (1,72%), no Estado.

Os roubos de veículos apresentaram a mesma tendência, subindo de 2.551 para 2.572 (0,81%) em Porto Alegre, e de 4.876 para 5.130 (5,2%) no Estado.