CORREIO DO POVO: Facção ameaça agente da Susepe

201

Carro foi atingido por vários tiros

A audácia das facções criminosas ultrapassa os limites das celas das superlotadas casas prisionais do RS. Não bastasse as constantes mortes violentas e até esquartejamentos resultantes dos confrontos entre os V7 e os Bala na Cara, os criminosos agora resolveram ousar. Os líderes dos V7 agora desejam fazer outras vítimas: a meta é acabar com a tropa de elite do sistema prisional, responsável por executar ações determinadas pelo setor de Inteligência, definidas após análise da situação interna das prisões.

A ordem partiu de dentro da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas para matar os integrantes do Grupo de Operações Especiais (Gaes) da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), que desde 2011 exercem uma série de ações especiais dentro das prisões. As intervenções do grupo ocorrem quase que diariamente e são responsáveis pela localização de armas, drogas e celulares em poder dos presos.

“Quem manda é o Estado e não os presos. Fomos ameaçados de morte porque estamos apertando a bandidagem dentro do sistema e, por este motivo, ainda não tivemos rebeliões no RS”, salientou um agente da Susepe, que já participou de operações do Gaes. Nesta semana um deles escapou da morte na zona Norte da Capital. Criminosos, em um veículo, tentaram interceptar o automóvel do servidor. O agente percebeu quando os bandidos desembarcaram do carro, de arma em punho.

O agente não hesitou e desferiu tiros na direção da quadrilha. O carro do agente do Gaes ficou bastante danificado, com vidros estilhaçados e a lataria crivada de balas. O fato foi registrado como tentativa de roubo. “Ele não teve outra alternativa. Se não reagisse, seria um homem morto”, disse o colega do servidor que escapou da morte. Os criminosos usavam roupas camufladas.