GAÚCHA: BM quer evitar novos equívocos após morte de soldado em confronto com policial civil

420

Soldado que atuava nas buscas a assaltantes de banco morreu ao trocar tiros com policial civil

A Brigada Militar afirma que trabalha para evitar situações semelhantes após a morte do soldado Geferson Rosolen, 28 anos, em uma troca de tiros com um colega da Polícia Civil. O acidente ocorreu durante as buscas aos assaltantes de banco que atacaram a cidade de Putinga, no Vale do Taquari, na noite de quinta-feira (7).

Em nota, o Comando-Geral da corporação diz que lamenta a morte, aguarda esclarecimentos da perícia e que atuará para que novos equívocos não aconteçam.

A BM ainda pede aos soldados que não estiverem atendendo a ocorrências nesta sexta-feira (8) para que liguem sirenes e sinais luminosos de viaturas como forma de homenagem ao soldado.

O soldado Rosolen está sendo velado na Capela Mortuária de Vespasiano Corrêa. O sepultamento está marcado para 15h, no Cemitério municipal de Vespasiano.

O policial civil foi ferido por tiros e encaminhado ao Hospital de Carazinho. A reportagem não conseguiu contato com o delegado responsável pela investigação para obter mais detalhes sobre estado de saúde.

O roubo aos bancos
No início da tarde desta quarta-feira, duas agências, uma do Sicredi e outra do Banrisul, foram atacadas no município. Informações preliminares indicam que até um avião de pequeno porte integrava a ação dos criminosos na cidade, que fica a 199 quilômetros de Porto Alegre e tem pouco mais de 4,1 mil habitantes.

Na fuga, os assaltantes fizeram reféns de cordão humano e ainda levaram dois funcionários e um gerente do Sicredi — que foram libertados em uma estrada do interior.

Segundo o Comando Regional da Brigada Militar do Vale do Taquari, cerca de 20 guarnições de pelo menos seis cidades atuaram no cerco aos criminosos,que estariam portando armas de cano longo e separados em, pelo menos, dois carros — um deles foi preso.

Sepultamento 

O velório e sepultamento do soldado Geferson Rosolen serão realizados na tarde desta quinta no cemitério municipal na cidade de Vespasiano Corrêa. No horário do enterro, às 15h, todas as unidades da Brigada Militar, com exceção daquelas em atendimento de ocorrências, prestarão homenagem ao colega morto com um minuto de silêncio e sirenes e sinais luminosos acionados.

As buscas à quadrilha que atacou as duas agências bancárias foram mantidas na região. Na quarta-feira, um integrante da quadrilha foi capturado quando provavelmente resgataria os cinco cúmplices nos matagais. Houve a apreensão de um Ford Ka. Em Porto Alegre, o delegado Joel Wagner, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil, afirmou que o grupo criminoso é oriundo de Caxias do Sul.

GAÚCHA