Rádio Guaíba: Delegacias são desinterditadas, mas presos seguem em DPs

Presos estão na 2ª DPPA, no Palácio da Polícia (foto), e na 3ª DPPA. Foto: Samuel Maciel
Presos estão na 2ª DPPA, no Palácio da Polícia (foto), e na 3ª DPPA. Foto: Samuel Maciel

Há pessoas detidas há 17 dias sem nenhum tipo de higiene

As Delegacias de Polícia de Porto Alegre seguem abrigando detentos que deveriam estar no sistema prisional. No total, 11 presos estão em delegacias da Capital neste domingo. A 2ª e a 3ª DPPAs, no entanto, foram desinterditadas após o encaminhamento de alguns detidos para os presídios. Também não há mais detentos em viaturas.

Na 2ª DPPA, no Palácio da Polícia, há cinco detidos, mais um em custódia em hospital. Na 3ª DPPA, são seis presos e duas custódias. O delegado Marco Antônio de Souza, diretor da Divisão de Operações da Polícia Civil na Capital, ressalta que há presos desde o dia 27 de outubro – portanto, há 17 dias – sem nenhum tipo de higiene.

Os presos estão sem tomar banho e sem escovar os dentes, e há apenas um mictório e uma privada no chão. A unificação dos presos em celas de delegacias também impede a separação de pessoas perigosas das não perigosas, primárias de reincidentes e a separação de presos ligados a facções. Além disso, o fato de os presos estarem em delegacias prejudica o trabalho dos policiais, já que eles acabam tendo de atuar na carceragem em vez da investigação.

Na última semana, o secretário de Segurança Pública, Cezar Schirmer, anunciou cinco medidas emergenciais para conter a superlotação das carceragens das delegacias. Serão construídos dois centros de triagem novos, um deles em Porto Alegre e outro em Charqueadas; e uma unidade provisória, erguida a partir de monoblocos, também na Capital. Ainda na cidade, o governo vai reutilizar um espaço vazio junto ao Instituto Penal Feminino (IPF) e recorrer a contêineres para triagem. Serão 16 equipados com beliche e chuveiro, cada um com capacidade para seis apenados.

Fonte: Bibiana Dihl / Rádio Guaíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *