Policial militar leva facadas durante atendimento de ocorrência

Corte no braço foi profundo, mas não comprometeu tendões | Foto: Divulgação

No cumprimento de internação compulsória, homem, inicias I.D., 56 anos, desferiu vários golpes na brigadiana com uma “brítola”

Uma policial militar, lotada no quartel da Brigada Militar (BM), de Guaporé, levou duas facadas nesta quinta-feira, dia 26 de janeiro, durante atendimento a uma ocorrência. A soldado, que teve o nome preservado pelo comando, estava, juntamente com um colega brigadiano, colaborando com a oficial de Justiça e com a equipe médica na internação compulsória de um homem, de iniciais I.D., 56 anos. O fato aconteceu na residência do cidadão, localizada no bairro Nossa Senhora da Saúde.

Segundo o comandante da Brigada Militar, Tenente Júlio César de Oliveira Greff, a policial estava em apoio, quando o homem, que portava um canivete – conhecido na região como “brítola” – investiu contra a guarnição, desferindo vários golpes. Dois deles, um no braço e o outro na mão, acertaram a brigadiana.

“A guarnição, ao chegar na residência, tentou convencer o cidadão para que fosse internado. Porém, ele descontrolado com a situação, investiu contra a policial que utilizou a arma de choque (Spark), mas a mesma não surtiu efeito. Posteriormente ele partiu para cima do policial que foi obrigado a efetuar um disparo de arma de fogo”, destacou o comandante Greff.

O corte no braço foi profundo e a mesma teve que ser encaminhada para atendimento médico no Hospital Manoel Francisco Guerreiro. Devido a gravidade e a profundidade do ferimento, a soldado levou vários pontos. Ela, que foi medicada e liberada pela equipe médica, encontra-se em recuperação. A princípio, segundo informações, não houve comprometimento dos tendões e músculos. Após agredir a policial militar, o homem foi rendido e apresentando ferimentos por ter sido alvejado, também foi encaminhado para a unidade hospitalar para atendimento médico. Ele segue internado.

O registro da ocorrência foi realizado na Delegacia de Polícia (DP), de Guaporé.

Central de Conteúdo Unidade Aurora

1 Comentário

  1. essas spark, nao funciona, diferente das taser, sao uns lixo de arma nao letal….ta ahi o resultado…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *