Associação de oficiais da BM entra com mandado para que Sartori pague salários na íntegra

198

hqdefaultPresidente da entidade explica que, em tese, descumprimento de decisão anterior pode levar o governador à prisão

O presidente da Associação dos Oficiais da Brigada Militar, coronel Marcelo Frota, ingressou com uma ação no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) visando a execução da liminar obtida pela entidade que garante salários em dia. O mandado de segurança é para que o governador seja notificado em caso de desobediência, o que pode, legalmente, levar à prisão de José Ivo Sartori. “Francamente, não acreditamos que isso possa acontecer. Mas estamos pedindo por que, legalmente, é um caso de prisão”, disse Frota.

O dirigente ainda exige que o Banrisul seja citado, já que detém as contas do Estado, com o objetivo de reservar uma quantia para o pagamento dos salários dos oficiais, ainda nesta sexta-feira. Outra medida exigida é o pagamento da multa diária de R$ 50 mil, determinada pela Justiça em caso de atraso ou parcelamento da folha de pessoal.

Em uma reunião de mais de três horas, nessa manhã, o Comando-Geral da Brigada Militar e dois secretários do governo Sartori confirmaram às associações de brigadianos que vai haver parcelamento de salários em julho, inclusive para os servidores da área da Segurança Pública. O objetivo da reunião era tentar dissuadir os servidores de promoverem manifestações, paralisações e greve. Além do comandante-geral Alfeu Freitas, os secretários da Casa Civil, Márcio Biolchi, e Wantuir Jacini, da Segurança Pública, negociaram com os servidores.

Segundo o presidente da Associação dos Sargentos Subtenentes e Tenentes da Brigada Militar (ASSTBM), Aparício Santelano, os representantes do Piratini afirmaram que há duas possibilidades de pagamento para essa sexta-feira: de R$ 1,8 ou de R$ 2.150,00. Segundo Santelano, o parcelamento de salários pode levar a reações dos brigadianos que fujam do controle dos sindicalistas.

Já o presidente da Abamf, Leonel Lucas, que representa os servidores de nível médio da Brigada Militar, fala que, se o Piratini descumprir a decisão judicial que obriga o pagamento integral dos salários, os brigadianos também podem descumprir a lei que os impede de realizar greves. A entidades é uma das mais de 20 que obtiveram na Justiça liminares impedindo o governo do Estado de atrasar o pagamento dos salários.

O anúncio oficial de como vai ser paga a folha de julho está marcado para ocorrer às 11h dessa sexta-feira (31) no Palácio Piratini.

Fonte:Voltaire Porto / Rádio Guaíba