Temendo corte de horas extras e reajustes, servidores da Segurança podem antecipar assembleia geral

191

protesto-pm-por-segurancadivulgacaoCategoria planeja marcha com protesto em frente ao Palácio Piratini, em 18 de agosto

Na próxima terça-feira, representantes das polícias Civil e Militar se reúnem para debater a proposta de antecipar a assembleia das categorias da Segurança Pública, inicialmente marcada para 18 de agosto. Para a mesma data, está agendada uma marcha pelo funcionalismo público, com mais um protesto em frente ao Palácio Piratini. De acordo com entidades de servidores da Brigada Militar, PMs podem entrar em estado de greve se aumentos forem cancelados ou se houver uma maior redução no pagamento de horas extras.

De acordo com o presidente da Associação de Cabos e Soldados da Brigada Militar, Leonel Lucas, a antecipação já é especulada. “Existe um grupo entendendo que é melhor nós irmos para a marcha com uma posição definida, já podendo ser apresentada para o governo. Há uma união entre os servidores das polícias Civil e Militar, além dos da Susepe e do IGP. Sendo assim, a definição vai ser conjunta”, esclareceu.

Na última quinta-feira, na sede do Cpers, os funcionários públicos se reuniram para organizar a marcha do dia 18 de agosto. Ficou estabelecido um plano de mobilização em todas as cidades do interior para trazer caravanas até a Capital com o objetivo de engrossar o movimento.

Fonte:Voltaire Porto / Rádio Guaíba