Assaltos a bancos e a agência lotérica em União da Serra duraram 10 minutos

161

17988286Bandidos usaram reféns como escudo na rua

Homens fortemente armados precisaram de 10 minutos para assaltar dois bancos, uma agência lotérica e uma farmácia em União da Serra, município com cerca de 1,5 mil moradores na região de Guaporé. O ataque simultâneo ocorreu por volta das 13h15min de sexta-feira. Ninguém ficou ferido.

O bando chegou na cidade num Fiat Stilo e estacionou na Avenida Monsenhor Paulo Chiaramont, via que concentra o comércio no centro da cidade. Em seguida, pelo menos cinco ladrões desembarcaram do carro e usaram um machado para quebrar os vidros das agências do Sicredi e do Banrisul.

Dentro dos bancos, a quadrilha rendeu clientes e funcionários. Os reféns foram levados para a rua, onde se juntaram a outras pessoas. O grupo foi usado como escudo para um eventual confronto com a polícia. Dono de uma farmácia e de uma lotérica, o comerciante Maurício Lazzaretti estava entre os reféns:

— Eles chegaram muito rápido e também entraram na nossa lotérica para assaltar. Viram a farmácia que funciona no mesmo espaço da lotérica e levaram o dinheiro dali. Me levaram pra rua perto de umas 10 pessoas para servir como escudo. Foi muito rápido — descreve Lazzaretti.

Os ladrões fugiram em direção ao município de Itapuca, e levaram o gerente do Sicredi como refém. O funcionário do banco foi liberado em seguida. Pela estrada, a quadrilha espalhou miguelitos (pregos retorcidos e colados). No momento do ataque, os PMs responsáveis pela segurança de União da Serra estavam em outro local e chegaram minutos depois da fuga.

A cidade conta com três policiais militares, que prestam atendimento em outras cidades. A Brigada Militar (BM) mobilizou equipes de Guaporé, de Serafina Corrêa e de municípios da região, mas nenhum criminoso havia sido identificado ou preso até a tarde de sexta-feira. Um carro usado no roubo foi abandonado pelos bandidos.

O secretário municipal de Administração de União da Serra, Gerson Chiodi, considera o crime de sexta-feira como uma ação atípica. Em 2014, ladrões usaram explosivos para tentar arrombar o cofre do Sicredi.

— Vimos todo o assalto da porta da prefeitura. Entendo que a violência aqui é rara, mas ficaria melhor se os nossos PMs atuassem apenas em União da Serra, o que não ocorre — pondera Chiodi.

ZERO HORA