Frente Parlamentar vai buscar soluções para falta de efetivo policial no RS

140

pozozzz-960x600Expectativa é pressionar o governador a fazer o chamamento de policiais concursados em até três meses

O deputado estadual Jorge Pozzobom, do PSDB, confirmou para o início da tarde da próxima quarta-feira, na Assembleia Legislativa, a instalação da Frente Parlamentar da Segurança Pública. De acordo com o tucano, todas as deficiências do sistema serão abordadas em meio às reuniões de trabalho, inclusive modificações no regime semiaberto. Uma das metas é apontar perspectivas de reforço policial para a sociedade.

Para isso, deputados que vão compor as atividades devem ir em busca de dados técnicos da Secretaria da Fazenda e, ao fim, agendar audiência com o governador José Ivo Sartori, do PMDB. O proponente da iniciativa é Pozzobom, que vai presidir a Frente. “Não vamos nos resumir a reuniões, mas nelas serão ouvidas todas as áreas da Segurança Pública. Nossa procura maior vai ser por um estudo técnico. Queremos ter a garantia do governador para algumas ações e um sinal fazendário positivo “, adiantou.

A intenção do parlamentar é de que técnicos do Tesouro indiquem caminhos para viabilizar a quantidade de recursos financeiros necessária para autorizar a contratação de policiais civis e militares aprovados em concurso público. “Nós queremos é terminar os trabalhos com um prazo, uma perspectiva para nomeações. Com os dados da Fazenda vamos até ao governador Sartori mostrar a ele que são possíveis convocações a partir de tal data e traçar esse calendário para a sociedade, além dos próprios aprovados”, projetou.

A expectativa é de que haja uma confirmação do Palácio Piratini para aproveitar 2 mil aprovados para a Brigada Militar e 650 para a Polícia Civil. Até agora, o Piratini acenou com o chamamento de 178 PMs, na próxima semana. O presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública espera concluir os trabalhos e definir um prazo para o chamamento de mais policiais em até três meses.

Fonte:Voltaire Porto/Rádio Guaíba