ZERO HORA: Patrulha comunitária terá investimento de R$ 500 mil em videomonitoramento

121

IMG-20160408-WA0033Projeto Santa Maria Segura

Projeto tem como principal objetivo a integração com a comunidade no combate à criminalidade

Por: Naiôn Curcino ZERO HORA

Proposto no dia 1º de julho pelo comandante do Comando Regional de Polícia Ostensiva (CRPO), coronel Worney Mendonça, o projeto Santa Maria Segura, que visa a uma integração maior entre a comunidade e as polícias para enfrentar a criminalidade e tentar diminuir os índices de violência na cidade, será antecipado e deve entrar em funcionamento na segunda quinzena de agosto. O anúncio foi feito pelo comandante do 1º Regimento de Polícia Montada (1º RPMon), tenente-coronel Gedeon Pinto da Silva, responsável pelo policiamento ostensivo em Santa Maria, após o latrocínio que vitimou Shelli Uilla da Rosa Vidoto, 27 anos, na última sexta-feira.

– Com isso, estamos fugindo da concepção de que a segurança tem que ser feita somente com a presença policial. Se nós partirmos dessa premissa, estaremos admitindo que, em cada quadra, temos que ter a presença de um policial militar, e isso não acontece em nenhum lugar do mundo – ressaltou Worney em entrevista ontem ao Jornal do Almoço, da RBS TV.

Mas além das ações em parceria com a população, haverá também investimentos. Um dos principais, se não o principal, será a reativação da sala de videomonitoramento da Brigada Militar. O valor investido será em torno dos R$ 500 mil e virá de empresas, entidades e também de Termos de Ajustamento de Conduta, os TAC’s. O tenente-coronel Gedeon explica que, com isso, será possível realizar um atendimento mais rápido às ocorrências.

– Será um investimento público-privado. É um projeto que já foi finalizado e vai ser um fator determinante para o combate à criminalidade. A nossa ação vai ser mais eficiente, vamos atuar em uma pronta resposta, trabalhando no momento em que estiver acontecendo o crime que estiver sob alcance do videomonitoramento – explica.

Algumas câmeras da própria prefeitura serão utilizadas, com as imagens sendo repassadas para a sala de monitoramento. Os outros equipamentos que serão instalados ainda não têm locais definidos, já que, inicialmente, é preciso ver quais câmeras municipais poderão ser usadas no chamado sistema de espelhamento. Mas os locais com os maiores índices de criminalidade serão priorizados.

Investigação do latrocínio

Agentes e o delegado titular da 1ª Delegacia de Polícia, Laurence de Moraes Teixeira, deram continuidade, ontem, à investigação sobre o assalto que terminou com a morte de Shelli, na tentativa de encontrar os dois suspeitos. Um laudo do Instituto-Geral de Perícias apontou ontem que três facadas atingiram a vítima.