Bombeiros admitem que nem todas as guaritas danificadas no litoral estarão repostas até sábado

168

ressaca-960x600Operação Verão Para Todos abre no fim de semana e vai até até 5 de março de 2017

O chefe do Estado-Maior da Brigada Militar, tenente-coronel Luis Marcelo Maya, confirmou, hoje à tarde, que nem todas as guaritas destruídas pela forte ressaca registrada em outubro no litoral gaúcho estarão repostas até o começo da Operação Verão Para Todos, previsto para o sábado.

De acordo com o comandante, o caso mais crítico é o de Capão da Canoa, onde 30 das 31 guaritas foram destruídas pela força das águas. Mesmo com o atraso, algumas estruturas já devem estar instaladas na cidade para o dia 17 de dezembro, data de início da Operação.

Conforme Maya, cada praia do litoral Norte deve contar com pelo menos uma guarita, e a expectativa é de que as demais estruturas danificadas sejam reinstaladas nas primeiras semanas do verão. A promessa inicial, por parte das prefeituras, era de realocar todas as plataformas até o dia 17, mas isso não vai ser possível.

O comandante reforça que o Corpo de Bombeiros é treinado para atuar como salva-vidas apenas a partir das guaritas, e que a ausência delas pode prejudicar esse trabalho. No entanto, ressalta que “cada caso precisa ser analisado individualmente”.

Menos de mil salva-vidas devem trabalhar em 329 guaritas

No total, o Rio Grande do Sul vai contar com pouco menos de mil salva-vidas: 866 policiais bombeiros e 110 civis. Uma parte do grupo, tanto militares quanto civis, segue em treinamento, sendo que o efetivo completo só vai estar atuando partir de 27 de dezembro.

A previsão inicial da BM, de contar com 1,15 mil socorristas, entre bombeiros e civis, não vai se confirmar embora 920 candidatos tenham se inscrito às 600 vagas de salva-vida temporário.

O Estado conta com um total de 329 guaritas, distribuídas entre o litoral Norte (228), litoral Sul (31) e águas internas (70). A Operação Verão Para Todos vai de 17 de dezembro de 2016 a 5 de março de 2017.

Fonte:Ananda Müller/Rádio Guaíba