A BM iniciou hoje, o projeto piloto de radiocomunicação digital na sede do 21º BPM no bairro Restinga, em Porto Alegre.

21bpm
A BM iniciou hoje, o projeto piloto de radiocomunicação digital na sede do 21º BPM no bairro Restinga, em Porto Alegre.

A migração do sistema analógico para o digital nas comunicações da Brigada Militar iniciou nesta segunda-feira (26), tendo como base a ativação do projeto piloto de radiocomunicação, usando tecnologia APCO 25, na sede do 21º Batalhão de Polícia Militar, na Restinga. Durante 30 dias o projeto será monitorado e avaliado para posterior ampliação na utilização.

A Secretaria de Segurança Pública e o Centro de Manutenção Tecnológica da BM (CMTec/BM) já possuem infraestrutura na Capital em tecnologia APCO 25, a qual está sendo migrada para digital, paulatinamente, por fases, iniciando pelo próprio CMTec (como fase experimental). Agora, a BM implanta a fase piloto com o 21º BPM, para o uso no Policiamento Ostensivo. Com a aquisição de mais terminais portáteis, a Brigada Militar estendendo às demais unidades em Porto Alegre. Outras regiões do Estado seguem um plano de fases regionais pós-Capital.

A tecnologia escolhida pela BM, APCO 25 ou Projeto 25, é uma tecnologia digital de rádio profissional criada pela Associação dos Oficiais de Comunicações de Segurança Pública dos EUA, usada em todo território americano e por muitas Polícias e Bombeiros do mundo. No Brasil está sendo a opção de muitos órgãos de Defesa e Segurança Pública, como Exército Brasileiro, prefeituras municipais de São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

De acordo com o diretor do CMTec/BM, Tenente-coronel Marcelo Giusti , entre as vantagens que a tecnologia digital traz para as comunicações policiais estão sigilo, identificação automática de terminais, maior qualidade de áudio, criptografia (segurança adicional), entre outros. “Por seus equipamentos possuirem potência alta em comparação a outras tecnologias, a cobertura de sinal tende a ser maior, necessitando menos pontos de repetição na infraestrutura. Também possui normatização internacional de padrões o que garante a troca de informações entre os inúmeros fabricantes em uma mesma rede, mantendo suas características básicas”, destacou. O Tenente-coronel Giusti ainda lembrou que a manutenção técnica, em primeiro plano, já é de domínio do Centro de Manutenção Tecnológica da BM.

O diretor do Departamento de Informática da BM destacou que a nova tecnologia permite o aproveitamento e a comunicação com os equipamentos atuais analógicos, até que completem sua vida útil. “Alem disso, a troca de sistema atendeu normativas da Associação Nacional de Telecomunicações (ANATEL) para a Segurança Pública brasileira e estabeleceu um prazo de migração de sistema até 2021”, afirmou.

FONTE: Brigada Militar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *