Justiça coloca em liberdade 13 integrantes de quadrilha que ostentava objetos roubados

ostenta_620O juiz Joni Victória Simões, da Vara Regional da Tristeza, colocou em liberdade 13 dos presos na Operação Ostentação da Polícia Civil, realizada em 2014 na Região Metropolitana. Segundo a denúncia do Ministério Público, os réus integravam quadrilha responsável por roubo de cargas, a residências, a estabelecimentos comerciais e a pedestres, principalmente na zona sul de Porto Alegre.

 Na sentença, proferida nesta segunda-feira (24), o magistrado condenou 10 réus e absolveu 8. No entanto, concedeu a cinco dos condenados o direito a apelar em liberdade. Entre os condenados que permanecerão presos, está a policial militar Raila Graciela Saraiva, de 26 anos, que seria namorada de um dos assaltantes e repassaria arma e informações privilegiadas. O grupo agia principalmente nos bairros Assunção, Cavalhada, Ipanema, Nonoai e Tristeza. Os réus respondem pelos crimes de organização criminosa, roubo, receptação e corrupção de menores. A operação foi batizada como ostentação, porque os réus postavam nas redes sociais fotos com objetivos roubados, como armas, carros, joias e dinheiro.

 O delegado Luciano Peringer, que coordenou a Operação Ostentação, preferiu não se manifestar, porque não teve acesso à sentença. A promotora Guacira Almeida Martins vai se manifestar amanhã. A Rádio Gaúcha busca contato com os advogados dos réus.

 Condenados que vão recorrer em liberdade:

 Alexandra Moura Lopes – 8 anos de prisão, regime inicialmente semiaberto

Tiago da Silva Berenhauser – 7 anos e 7 meses, regime inicialmente semiaberto

Andrei da Silva Berenhauser – 8 anos e 9 meses, regime inicialmente semiaberto

Maurício Frank de Oliveira – 8 anos e 11 meses, regime inicialmente semiaberto

Augusto Martins Pinto – 8 anos e 9 meses, regime inicialmente semiaberto

 Condenados que vão responder presos:

 Bruno Antunes Mayer – 10 anos e 7 meses de prisão, regime inicialmente fechado

Bruno Talayer Silva – 16 anos de prisão, regime inicialmente fechado

Gustavo Maineri da Silva – 33 anos e 2 meses de prisão, regime inicialmente fechado

Luiz Felipe Viegas – 20 anos e 4 meses de prisão, inicialmente fechado

Raila Graciela Ferraz Saraiva – 10 anos e 6 meses, inicialmente fechado

 Réus absolvidos:

Fabrício Ferrão Martins, Joni Medeiros da Silva, Nicolas Batista Antonacci, Paulo Ricardo Ferreira dos Santos, Priscila Mello da Silva, Rafael Camargo, Thiago Cláudio Fraga Farbinatto e William da Silva Brum

GAÚCHA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *