‘Poderia ter sido qualquer um de nós’, diz colega de sargento morto no RS

PM foi morto após ser baleado em troca de tiros durante ataque a banco.
Domingo foi marco pelo sepultamento e homenagens ao policial.

Do G1 RS

O sargento da Brigada Militar morto durante troca de tiros com bandidos que arrombavam um banco em Erval Grande, no Norte do Rio Grande do Sul, na madrugada de sábado (29), foi enterrado no domingo (30) na cidade de Alegrete, na Fronteira Oeste.

Cortejo em homenagem ao PM morto em Erval Grande (Foto: RBS TV/Reprodução)
Cortejo em homenagem ao PM morto em Erval Grande (Foto: RBS TV/Reprodução)

Apesar das intensas buscas, inclusive com ajuda de um helicóptero da Brigada Militar, ninguém foi preso. João Marcelo Borges Desidério, de 43 anos, foi enterrado em sua cidade natal. Seu corpo  foi levado em um cortejo militar até o cemitério municipal.

“Sempre amou a farda, trabalhou dedicado, cumpridor de suas obrigações, sempre trabalhando em prol da segurança pública, da sociedade, não tolerava injustiça”, afirmou o cunhado da vítima, sargento João Figueira.

Na cidade de Erechim, no Norte do estado, onde João vivia, foi realizada uma manifestação em sua homenagem no domingo.

Sargento lamentou a morte do colega durante o trabalho (Foto: RBS TV/Reprodução)
Sargento lamentou a morte do colega durante o trabalho (Foto: RBS TV/Reprodução)

“Abala a nossa estrutura porque é um colega, poderia ter sido qualquer um de nós, poderia ter sido eu. No cumprimento do dever, o João tombou defendendo a sociedade”, lamentava o sargento Clóvis dos Santos, do 13º BPM de Erechim.

Em Porto Alegre também foram realizadas homenagens ao policial, como a prestada pelo 1º BPM.

Troca de tiros e morte

Colete do sargento com manchas de sangue após o tiroteio (Foto: Divulgação/Brigada Militar)
Colete do sargento com manchas de sangue após o tiroteio (Foto: Divulgação/Brigada Militar)

O policial morreu na madrugada de sábado durante uma patrulha no Norte do estado. A viatura se aproximava de uma agência do Banrisul, em Erval Grande, quando os policiais foram recebidos a tiros por cerca de 12 homens armados que arrombavam a agência bancária.

O sargento foi baleado no abdômen e o policial militar que o acompanhava acabou se rendendo. Os bandidos voltaram para o interior do banco e explodiram a agência. Eles fugiram e o carro utilizado na fuga foi encontrado próximo do rio Uruguai.

Durante todo o domingo foram realizadas buscas, inclusive com a ajuda de um helicóptero da Brigada Militar e da Polícia Militar de Santa Catarina, em virtude da proximidade com o estado vizinho, mas os suspeitos não foram localizados.

“A nossa unidade, o Comando Regional do Planalto, o Batalhão de Aviação e muitos comandos da Brigada, estão nos apoiando. Estamos com barreiras nas divisas com Santa Catarina. Estamos, desde que tomamos conhecimento do fato, realizando buscas para encontrar esses meliantes que cometeram esse crime bárbaro”, afirmou o comandante do 13º BPM, tenente-coronel Eliel de Souza Roque.

A agência do Banrisul que foi assaltada foi alvo do segundo ataque em menos de três meses. Os bandidos fugiram levando o dinheiro dos caixas eletrônicos, além de ter destruído a agência.

Viatura foi atingida por diversos disparos (Foto: Julio Mocelin/ Auonline.com )
Viatura foi atingida por diversos disparos (Foto: Julio Mocelin/ Auonline.com )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *