ÁUDIO: Suspeito de matar PM é foragido de SC e integra facção

211
William Ribeiro Marinho, de 32 anos, é procurado pela Polícia. Foto: Divulgação/PC
William Ribeiro Marinho, de 32 anos, é procurado pela Polícia. Foto: Divulgação/PC

Associação ao tráfico e organização criminosa são dois dos inúmeros crimes que pesam sobre Willian Ribeiro Marinho, 31 anos, suspeito de matar o soldado da Brigada Militar Luiz Carlos Gomes da Silva Filho, 29 anos, na última segunda-feira, em Porto Alegre. Marinho, que teve a prisão preventiva pedida pela Polícia Civil na sexta-feira, é natural de Laguna, em Santa Catarina, onde também é procurado pela polícia – ele integra o Primeiro Grupo Catarinense (PGC), uma das principais facções do Estado vizinho e rival do Primeiro Comando da Capital (PCC).

Açougueiro de profissão, ele é identificado pela polícia como sendo o rapaz de camiseta branca, que aparece, no vídeo gravado por morador, discutindo com o soldado antes de pegar arma no carro e disparar três vezes na cabeça do brigadiano. Estão circulando no Whatsapp áudios que seriam de Marinho conversando com uma mulher. Nos diálogos, o suspeito queixa-se de ferimento em uma perna ao dizer que não consegue “nem rir por causa da dor”. Em outra parte, fala que vai “descansar, tomar um banho” e lavar a perna. Durante a discussão, o atirador havia sido baleado pelo PM.

Após o homicídio, nas buscas, foi apontado como autor dos disparos um homem chamado Gerson. Uma pessoa com esse nome chegou a ser investigada, o que despertou a curiosidade da mulher que conversa com Marinho. Ela pergunta qual seria seu verdadeiro nome. “Teu nome é Gerson ou é Willian? Seja sincero, pelo amor de Deus”, questiona a mulher. Conforme o diretor do Departamento de Homicídios, Paulo Grillo, “a identificação do autor dos disparos passou pelos áudios”.

No final da tarde de sexta- feira, a titular da 6ª Delegacia de Polícia de Homicídios de Porto Alegre, delegada Elisa Souza, recebeu os laudos do Instituto-Geral de Perícias que confirmam a presença das impressões digitais de Marinho e Gabriel Pereira Lima, de 18 anos, no Gol branco em que os suspeitos estavam.

Gabriel foi preso em flagrante na quarta-feira com um revólver calibre 38, munições e drogas na Vila Resvalo, bairro Cristal. O jovem confessou ser o rapaz de camiseta vermelha. Conforme Elisa, eles serão indiciados por homicídio qualificado. Outras duas pessoas, que também estavam no Gol, mas saíram antes do crime, ainda não foram identificadas.

JOSÉ LUÍS COSTA MARCELO KERVALT MARCELO

ASSASSINATO NO MEIO DA RUA
-O soldado Luiz Carlos Gomes da Silva Filho foi morto no início da tarde de segunda-feira, na Rua Santa Flora, bairro Cavalhada, em Porto Alegre, após abordar um Gol branco em ocorrência de furto.
-Imagens feitas por um morador mostram que o brigadiano, sozinho e à paisana, discute, empurra e chega a entrar em luta corporal com o atirador, que até então estava desarmado.
-Na sequência, o homem, que seria Marinho, pega uma arma no carro e dispara três vezes, acertando a cabeça do policial.
-Na quarta-feira, durante caçada aos possíveis autores dos crime, o Batalhão de Operações Especiais (BOE) prendeu Gabriel Pereira Lima, de 18 anos.
-Ele confessou ser o rapaz de camiseta do Barcelona à sombra de uma árvore.
-A polícia acredita que ele tenha deixado a arma engatilhada dentro do carro ao alcance de Marinho. Gabriel nega.
-Além de Marinho, outras duas pessoas são procuradas, mas ainda não foram identificadas.

ZERO HORA

Amiga questiona verdadeiro nome do suposto matador do PM ZERO HORA

Em gravação, suspeito de matar PM reclama de dor na perna ZERO HORA