Protesto por segurança faz velório simbólico em frente à casa de Sartori

114

Grupo criticou postura do Piratini em só alegar falta de verbas e prometeu novos atos

*Com informações do repórter Marco Ruas.

A indignação pela falta de segurança no Rio Grande do Sul, após a morte de uma mãe que buscava aluno do Colégio Dom Bosco, transbordou em protesto na frente da residência do governador, José Ivo Sartori, em Porto Alegre. Dois grupos, um da zona Norte e outro da zona Sul de Porto Alegre, reuniram cerca de 50 pessoas no local e fizeram um “velório” simbólico do governo do Estado, com oito cruzes representando vítimas recentes da violência.

Um caixão foi preso a um poste sobre as cruzes, em meio à palavras de indignação contra a administração estadual. Um dos participantes, que não quis se identificar, lamentou: “Parece que estamos morrendo aos poucos”.

Os dois grupos criticaram a postura de Sartori, em apenas alegar falta de verbas quando existem alternativas para reforçar a segurança. Eles pediram que seja acionada a Força Nacional e seja feito um melhor trabalho com a Guarda Municipal.

Os responsáveis pela manifestação prometeram fazer novos atos em resposta aos crimes. Eles também pretendem reunir todas os segmentos da sociedade civil que protestam por segurança no dia 14 de setembro. Neste dia, será redigida uma carta aberta ao governador.

Queda do secretário

A atual crise na segurança no Estado fez com que o então titular da Secretaria de Segurança Pública, Wantuir Jacini, pedisse exoneração do cargo. O pedido de saída foi aceito pelo governador, que anunciou também a criação de um gabinete de crise, que será responsável pela área até que seja definido um sucessor para Jacini. Uma reunião entre as forças policiais e o governo do Estado ocorrerá na manhã desta sexta-feira. Em seguida, Sartori deverá fazer um pronunciamento.